sábado, 16 de dezembro de 2017

Dungeon Tiles#01 - Aposentos



Quem leu a matéria sobre miniaturas da BC#15 sabe do meu apreço por esses "bonequinhos" de plástico e metal. Essa edição da revista contou com uma grade de batalha ilustrando um aposento de 15m x 10,5m para rolar um combate. E conforme prometido, há mais...
A partir de hoje começarei a gradualmente disponibilizar alguns Dungeon Tiles: arquivos em pdf contendo peças para serem impressas, recortadas e utilizadas para criar sua própria masmorra modular! O pdf tem tamanho A4 mesmo, então pode ser impresso em casa, se quiserem. Sugiro apenas usar papel de maior gramatura e/ou plastificar, para dar maior durabilidade às peças.
Clique na imagem ao lado para fazer o download do arquivo -- que também ficará armazenado, em breve, na sessão Miniaturas aqui do blog.

sábado, 9 de dezembro de 2017

Complemento para “Uma Busca Foliar”...

Na aventura Uma Busca Foliar, publicada na BC#15, há um bloco de texto intitulado “Mais Ação” que dá algumas dicas sobre usar o gancho da antiga aventura O Monstro Atrapalhado concomitantemente à Uma Busca Foliar. Se você gostou da ideia, fiz uma conversão das estatísticas do druida, do ranger e do urso Teddy para TRPG (já que por enquanto só existem as estatísticas para o antigo Td20). Note que essa não é uma adaptação oficial e, portanto, uma nova versão pode surgir em algum futuro suplemento do cenário. Você também vai perceber que eu removi alguns dos itens mágicos que os personagens possuíam, já que as regras de TRPG sugerem menos itens mágicos do que as versões anteriores.

Sem mais delongas, eis as estatísticas:

Neldor: humano, druida 10, N; ND 10; Médio, desl. 9m; PV 62; CA 18 (+5 nível, +2 Des, +1 Esquiva); corpo-a-corpo: cimitarra +3 da velocidade +11 (1d6+6) ou cimitarra +3 da velocidade +6/+6 (1d6+6 cada); HE: Código de conduta, devoto (Allihanna), empatia selvagem, magias, vínculo natural, caminho da floresta, rastro invisível, forma selvagem, imunidade a venenos; Fort +8, Ref +7, Von +10; For 12, Des 15, Con 13, Int 14, Sab 16, Car 17.
Perícias & Talentos: Adestrar Animais +16, Conhecimento (Natureza) +15, Cura +16, Diplomacia +16, Furtividade +7, Identificar Magia +15, Iniciativa +15, Percepção +16, Sobrevivência +16; Usar Armaduras (leves e médias), Usar Armas Simples, Usar Escudos, Fortitude Maior, Vontade de Ferro, Senso da Natureza, Esquiva, Lutar às Cegas, Prontidão, Domínio dos Animais, Voz de Allihanna, Domínio das Plantas, Preparar Poções.
Equipamento: cimitarra +3 da velocidade.
Código de Conduta: Não pode usar armaduras e escudos de metal.
Empatia Selvagem: Pode fazer teste de Diplomacia para se comunicar com animais (modificador +13).
Magias Conhecidas: (nível 0) detectar magia, detectar venenos, intuir direção, luz, purificar alimentos, romper morto-vivo, (nível 1) acalmar animal, constrição, curar ferimentos leves, escudo da fé, névoa obscurescente, (nível 2) agilidade do gato, falar com animais, forma de árvore, invocar enxame, pele de árvore, (nível 3) ampliar plantas, convocar relâmpagos, curar ferimentos graves, oração, (nível 4) inseto gigante, invocar monstro IV, poder divino, remover veneno, (nível 5) caminhar em árvores, controlar os ventos. PM 31, CD 13+ nível da magia.
Vínculo Natural: Neldor tem vínculo com Teodoro (Teddy), seu companheiro animal.
Caminho da Floresta: Em terreno natural, pode atravessar terreno difícil sem penalidade.
Rastro Invisível: Seguir os rastros de Neldor impõem CD +10.
Forma Selvagem: Neldor pode assumir a forma de um grande urso (tem as habilidades Tamanho Grande e Garras e Presas). Nessa forma ele tem as seguintes estatísticas: Tam. Grande, CA 17 (+5 nível, +2 Des, +1 Esquiva, -1 tamanho); corpo-a-corpo: garra +9 (1d6+8) ou 2 garras +5 (1d6+8) e 1 mordida +5 (1d8+8); For 16; Furtividade +3. As demais estatísticas ficam inalteradas.
Imunidade a Veneno: Neldor não é afetado por venenos.

Tahndour Shadowtree: elfo, ranger 6, NB; ND 6; Médio, desl. 9m; PV 48; CA 19 (+3 nível, +3 Des, +3 couro batido obra-prima); corpo-a-corpo: espada longa +9 (1d8+5, 19-20 x2) ou espada longa +7 (1d8+5, 19-20 x2) e espada curta +6 (1d6+5, 19-20 x2); à distância: arco longo +9 (1d8+3, x3); HE: empatia selvagem, inimigo predileto (Monstros e Humanoides), estilo de combate (luta com duas armas), terreno predileto, vínculo selvagem (mundo selvagem), bênção da natureza (magias), estilo de combate aprimorado; Fort +7, Ref +8, Von +5; For 15, Des 17, Con 15, Int 10, Sab 14, Car 10.
Perícias & Talentos: Atletismo +11, Conhecimento (Natureza) +9, Furtividade +21, Iniciativa +12, Percepção +11, Sobrevivência +11; Usar Armaduras (leves e médias), Usar Armas (simples e marciais), Foco em Arma (espada longa)*, Usar Escudos, Fortitude Maior, Reflexos Rápidos, Rastrear, Foco em Perícia (Furtividade), Iniciativa Aprimorada, Prontidão, Combater com Duas Armas, Tolerância, Tiro Certeiro*, Combater com Duas Armas Aprimorado.
Equipamento: espada longa, espada curta, armadura de couro batido, arco longo botas élficas (mesmas propriedades de um manto élfico).
Empatia Selvagem: Pode fazer teste de Diplomacia para se comunicar com animais (modificador +6).
Inimigo Predileto: +4 em dano, Percepção, Intuição e Sobrevivência contra Monstros, +2 em dano, Percepção, Intuição e Sobrevivência contra Humanoides.
Terreno Predileto: +2 na CA e testes de Acrobacia, Atletismo, Furtividade, Percepção e Sobrevivência em florestas.
Bênção da Natureza: Tahndour possui 4 PM para conjurar as seguintes magias: (1º nível) acalmar animal, constrição, detectar armadilhas, passos longos.
* Foco em Arma foi escolhido como bônus pela raça élfica, enquanto Tiro Certeiro foi benefício da habilidade vínculo selvagem.

Teodoro (Teddy): animal 10, N; ND 6; Grande, desl. 9m; PV 100; CA 18 (+5 nível, +1 Des, +3 natural, -1 tamanho); corpo-a-corpo: mordida +13 (1d8+12) ou 1 mordida +11 (1d8+12) e 2 garras +11 (1d6+12); HE: visão na penumbra; Fort +10, Ref +8, Von +6; For 24, Des 13, Con 16, Int 2, Sab 12, Car 6.
Perícias & Talentos: Iniciativa +6, Percepção +14; Fortitude Maior, Reflexos Rápidos, Vitalidade x3, Ataques Múltiplos, Armadura Natural Aprimorada.
Agarrar Aprimorado: quando acerta um ataque corpo-a-corpo, Teddy pode iniciar uma manobra agarrar como uma ação livre.
* As estatísticas de Teddy seguem a regra de companheiro animal, por isso ele é diferente do urso típico descrito no Bestiário de Arton.

Sakrat, o Mantícora: monstro 6, NM; ND 5; Enorme, desl. 9m, voo 15m; PV 66; CA 19 (+3 nível, +2 Des, +6 natural, -2 tamanho); corpo-a-corpo: mordida +9 (1d8+8) ou 1 mordida +7 (1d8+8) e 2 garras +7 (2d4+8); à distância: 6 espinhos +6 (1d8+3); HE: visão no escuro, faro, espinhos; Fort +9, Ref +7, Von +4; For 20, Des 15, Con 19, Int 7, Sab 12, Car 9.
Perícias & Talentos: Iniciativa +11, Percepção +10; Fortitude Maior, Reflexos Rápidos, Ataques Múltiplos, Vitalidade, Treino em Perícia (Iniciativa).
Faro: +4 em Sobrevivência para rastrear com o faro e detecta presença de criaturas a até 9m.
Espinhos: com uma ação padrão, Sakrat pode disparar 6 espinhos em um alvo a até 27m; ele pode disparar 24 espinhos por dia.
* As estatísticas de Sakrat são mais fiéis à sua versão original do que à versão do mantícora descrita no Bestiário de Arton. Se preferir, use as estatísticas normais do mantícora vistas neste livro.

Vülk, Lobo das Estepes: monstro 6, NM; ND 5; Grande, desl. 15m; PV 54; CA 18 (+3 nível, +1 Des, +5 natural, -1 tamanho); corpo-a-corpo: mordida +9 (1d8+7); HE: visão no escuro, faro, sopro, imunidade a frio, vulnerabilidade a fogo; Fort +8, Ref +6, Von +4; For 18, Des 13, Con 16, Int 9, Sab 13, Car 10.
Perícias & Talentos: Furtividade +6, Iniciativa +10, Percepção +10, Sobrevivência +10; Fortitude Maior, Reflexos Rápidos, Treino em Perícia (Iniciativa, Furtividade e Sobrevivência).
Faro: +4 em Sobrevivência para rastrear com o faro e detecta presença de criaturas a até 9m.
Sopro: uma vez a cada 1d4 rodadas Vülk pode soprar um cone de gelo de 4,5m que causa 6d6 de dano (Reflexos CD 16 reduz à metade).
Vulnerabilidade a Fogo: Vülk sofre +50% de dano por fogo.

H’aarrshe & Haarrkh, Gnolls: use as estatísticas normais dos gnolls apresentados no Bestiário de Arton.

sábado, 2 de dezembro de 2017

Beholder Cego #15

Mais uma edição da Beholder Cego acaba de chegar, disponível para download inteiramente gratuito. Nesta edição você encontra:

Miniaturas de RPG: uma breve discussão sobre o uso de miniaturas em jogos de RPG, os produtos disponíveis no mercado e um grid de batalha em tamanho A4 para imprimir e jogar.
Dragões Metálicos: depois dos dragões elementais, agora é a vez dos dragões metálicos terem suas estatísticas estampadas nas páginas da BC. Segue as regras vistas na BC#14.
Expedição a Vârfulciori: a aventura continua e agora os heróis terão que adentrar o tenebroso castelo e confrontar sua senhora. Mas muita coisa pode acontecer. De que lado será que os jogadores lutarão?
Lá e De Volta Outra Vez...: gostou da matéria sobre comunidades da BC#14? Pois tem mais! Regras para detalhar ainda mais sua comunidade, além de uma sugestão sobre como usar a regra de negócios de Valkaria: Cidade Sob a Deusa em comunidades menores.
Uma Busca Foliar: depois de desmascarar um clérigo adorador da Tormenta, agora os heróis precisam ir para o mato para procurar... plantas?!
Encontro Aleatório: um bando de kobolds comuns, bem simples. Se bem que aquele ali parece ter olhos demais...

sábado, 25 de novembro de 2017

Semana que vem...

Atualização rápida, só pra avisar que a Beholder Cego #15 está pronta... quase pronta, na realidade. Falta apenas uma página. Se tudo correr conforme o planejado, semana que vem ela estará disponível para download aqui no blog. Também tenho algumas outras coisas bem legais que fui produzindo aos poucos e pretendo disponibilizar para download com o tempo, depois da a BC.

sábado, 18 de novembro de 2017

Não se desesperem...

Final de semana passado não houve nenhuma atualização aqui no blog. E quase que essa semana não há atualização de novo. Na verdade isso aconteceu apenas porque não tenho muito o que dizer. Nestas duas últimas semanas estiver bem ocupado no escritório e não consegui tempo para fazer muita coisa relacionada ao nosso hobby. Mas para não ficarem com aquela impressão de que a Beholder não terá novas atualizações, decidi postar alguma coisa e deixar claro que novas edições ainda virão. Só estou meio apertado nesse final de ano...

sábado, 4 de novembro de 2017

Notícias e Duas Mini-Resenhas

Muita coisa aconteceu desde a última atualização aqui do blog. A primeira e mais empolgante é que as matérias da BC#15 já estão todas prontas, com a edição e revisão já bastante avançada! Sim, isso mesmo, ela já está quase pronta. Mas como novembro vai ser agitado pra mim (e início de dezembro também) ela provavelmente só vai ao ar lá no início de dezembro.

Sobre a Beholder, é só o que eu tinha pra falar mesmo. Já revelei os títulos e assuntos principais, agora é só esperar pra ver o resultado. Mas pra postagem não ficar tão curtinha, resolvi aproveitar o espaço e fazer duas "mini-resenhas" de dois programas que tive a oportunidade de experimentar essa semana e que deve interessar muito ao público nerd/geek. Mas não se preocupem, sem spoilers.

Stranger Things
Se você não sabe o que é Stranger Things, me pergunto em que caverna esteve nos últimos meses? Qualquer nerd que se preze já assistiu pelo menos à primeira temporada. Mas pra quem ainda não conhece, Stranger Things é uma série do Netflix sobre suspense sobrenatural que se passa nos anos 80 e tem como protagonistas um grupo de crianças nerds que gosta de RPG e coisas relacionadas. Só por isso ela já merece nossa atenção. Como se não bastasse, o enredo é muito empolgante e a estória ótima. E o mais legal é que as crianças usam o RPG para explicar tudo o que está acontecendo... e no fim das contas, eles estão certos!
Semana passada estreou a segunda temporada. Eu estava super animado, mas não tanto para fazer maratona. Porém, minha esposa propôs e eu topei, preparamos o terreno para passar a noite assistindo (café, guloseimas e similares) e começamos a assistir às 22h da sexta-feira (foi a hora que conseguimos enfim parar em casa). Ela acabou dormindo, mas eu me empolguei tanto que fiquei até as 07h do sábado assistindo. E não me arrependi!
Quem gostou da primeira temporada, vai adorar a segunda. Ela é um pouco menos surpreendente -- a gente já tem uma noção do que pode vir a acontecer, sabe a coisa ainda vai piorar muito antes de melhorar... mas mesmo assim algumas coisas acabam te deixando apreensivo, eufórico, louco de expectativa! No início eu estava um pouco descontente porque as referências ao RPG pareciam que estavam sendo deixadas de lado -- até que mais para o final os garotos novamente usam o jogo para explicar tudo. E aí você bate na cabeça e diz: "Putz, óbvio, como não me dei conta disso!".
Adorei o final. Não vou dizer como termina, mas vou dizer o seguinte: a série não precisa de uma terceira temporada. Dá pra continuar, claro, mas não é obrigatório -- e aí Stranger Things corre o risco de cair na mesmice, tornar-se cíclico como são a maioria das séries de hoje em dia. Eu, particularmente, adoraria ver outra série com esse estilo, mas tenho medo que continuações constantes acabem tornando a franquia muito repetitiva. Talvez algo como em American Horror Story, onde cada temporada é uma estória independente e em cada uma delas os atores interpretam outros personagens -- afinal, a série se chama Stranger Things (algo como Coisas Estranhas) -- um título genérico que pode dar muito pano pra manga.

Thor Ragnarok
Este eu assisti no final dessa semana. Acompanho os filmes da franquia Marvel desde o primeiro Homem de Ferro e sempre que possível procuro assistir no cinema (mas não em estreias). Mas depois de cerca de 16 filmes desenvolvidos em sequência (se eu não tiver esquecido nenhum) começou a ficar chato assistir sempre a mesma coisa. Não, não estou dizendo que o filme é ruim, só que ele segue o mesmo padrão de todos os outros -- a cada novo filme, um novo supervilão aparece, mais forte que o anterior, mas o herói sempre encontra um jeito de vencer. Thor Ragnarok segue esse padrão -- exceto pelo final, que se diferencia um pouco.
Alguns aspectos melhoraram bastante na franquia, isso há de se dizer. O clima descontraído entre os personagens, as tiradas de sarro, as brincadeiras que destacaram o primeiro Guardiões da Galáxia e Homem-Formiga começaram a se tornar presentes em todos (ou quase todos) os filmes da franquia e com Thor Ragnarok não foi diferente. Volta e meia o cinema todo começava a rir de alguma tirada de sarro ou piada rápida e irônica.
Não gostei muito da explicação de como o Hulk foi parar em outro planeta, achei muito vaga e falha, poderia ter sido melhor desenvolvida. A participação do Doutor Estranho também foi muito boba -- ele simplesmente não precisava estar ali. Acho que só fizeram isso para conectar com aquela cena extra do filme deste herói, achei que ele teria mais participação, que se envolveria na trama. Mas não é o que acontece.
Gostei de como desenvolveram o Ragnarok, o evento final que, segundo a mitologia nórdica, representa o fim dos deuses. Ao menos fugiram do clichê clássico de simplesmente encontrar um poder secreto que estava em seu interior e então vencer o vilão por pura força de vontade. A vitória vem, mas o sacrifício é grande.
Como não podia deixar de acontecer, o filme traz algumas cenas que só quem acompanhou tudo até agora sabe o que significa -- como quando Hela entra no cofre de Asgard e podemos ver ali alguns itens muito importantes na franquia (que eu não vou citar, apenas prestem atenção -- se bem que já devem imaginar). E de novo, como não poderia faltar, temos as cenas extras. São duas -- uma depois dos créditos iniciais e muito significativa para o enredo geral da franquia, e outra lá no final, após os créditos, mas essa é dispensável, apenas uma brincadeira com um dos personagens secundários do filme.

sábado, 28 de outubro de 2017

Mais Notícias BC#15

Semana passada, meu progresso com a BC#15 não avançou quase nada -- mas com o cancelamento da atividade que estava prevista para essa semana no escritório, pude avançar um bocado. A aventura  Expedição a Vârfulciori já está pronta, restam apenas algumas revisões finais. E a outra aventura, aquela que eu só tinha uma ideia e nem tinha começado a escrever, já teve sua escrita iniciada. Ainda estou indeciso sobre o título, mas posso adiantar que ela se passará logo depois de Refúgio Vermelho (publicada na BC#14), será bem simples, com um objetivo claro e fácil, mas exigirá certa cooperação dos PJ no uso de perícias. Na verdade, personagens inteiramente focados em combate e com modificadores baixos em certas perícias terão bastante dificuldade em realizar a tarefa. Claro que terão algumas batalhas também, mas elas não serão o foco.

Também fiz algumas modificações naquele mapa de batalha que mostrei na outra postagem -- depois que imprimi, percebi que os espaços dos quadrados estavam ligeiramente menores do que deveriam, então precisei fazer adaptações. Mas acho que ficou legal.

Ah, e quem quiser divulgar sua marca, produto ou blog, pode entrar em contato pelo nosso e-mail (beholdercego@gmail.com) para anúncios gratuitos.